Concurso DPE-RJ - Confira as dicas de Teoria Geral do Processo

O Concurso da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro está com prazo de inscrições aberto no site da FGV, banca organizadora, e a expectativa sobre a seleção é crescente. Estão sendo oferecidas 27 vagas de preenchimento imediato para três cargos de Técnicos Médios da Defensoria, de Técnicos Superior da Defensoria e de Técnico Superior Especializado.

Os concurseiros já estão com os preparativos a todo vapor e cada nova lição pode ser determinante na hora das provas. As inscrições se encerram no dia 6 de março, às 16h, no site da FGV, banca organizadora da seleção. As taxas de inscrição para o concurso são de R$65,00 para nível médio e R$85,00 para nível superior.

As provas, por sua vez, ocorrerão no dia 14 de abril. Sendo assim, restam pouco mais de 2 meses de preparação para os exames, um período crucial para ultrapassar os últimos obstáculos que você estiver tendo no conteúdo programático de um concurso.

Pensando nisso, conversamos com a nossa professora de Noções de Teoria Geral do Processo, Deise Arakaki, sobre a prova do Concurso DPE-RJ. A disciplina é uma das três que compõem a parte de Conhecimentos Específicos da prova para os Técnicos Médios da Defensoria, carreira de nível médio com remunerações iniciais de R$ 4093,47.

 

Código do Processo Civil é imprescindível na preparação

Os Técnicos Médios da Defensoria atuam no auxílio às rotinas jurídicas e administrativas da Defensoria Pública. Por isso, os conhecimentos de legislação são fundamentais não só para a aprovação do candidato, como para a qualidade do trabalho desempenhado pelo futuro servidor.

Segundo a professora Deise, para garantir um bom desempenho na prova, os candidatos devem dominar os conteúdos referentes ao Código do Processo Civil (as normas, princípios e institutos fundamentais), pois é onde mais se baseiam as questões da prova.

- Estas questões são objetivas e literais, ou seja, é imprescindível o conhecimento do teor da lei, em especial aos artigos 188 ao 293 do Código de Processo Civil e aos artigos 4º ao 13º da Lei 11.419 de 19/12/2006 – Lei do Processo Eletrônico. - explicou a professora, acrescentando que o tema de “atos e comunicação dos atos processuais” muito provavelmente será abordado.

 

Abordagem das questões da FGV costuma ser mais prática

Além de indicar quais partes do conteúdo deverão ser mais abordadas, a especialista em Teoria Geral do Processo nos deu algumas dicas sobre a forma que a FGV costuma formular suas questões e como se preparar corretamente para este modelo.

- Analisando questões anteriores da FGV, para nível médio percebe-se que parte das questões são formuladas a partir de casos, ou seja, aplicação na prática. - explicou a professora, frisando a legislação vigente atualmente é do ano de 2015 e questões de anos anteriores devem ser ignoradas na preparação.

A professora Arakaki ainda deu mais uma dica valiosa na parte de exercícios para o concurso. As questões de Direito da banca Fundação Carlos Chagas (FCC) costumam se assemelhar às da FGV em abordagem, sendo uma boa forma de diversificar as questões que você está usando na preparação.

 

Conheça a Apostila DPE-RJ da Degrau Cultural

Toda boa preparação para concursos públicos passa por um bom material de apoio aos estudos. Além de nossos cursos, nós, da Degrau Cultural, também elaboramos materiais didáticos de excelência, com explicações e exercícios selecionados pelos melhores professores disponíveis para cada disciplina.

Se você já está inscrito ou pretende se inscrever no Concurso DPE-RJ, não deixe de buscar um material de apoio qualificado para seus estudos. Conheça a Apostila DPE-RJ da Degrau Cultural e não perca tempo, garanta aqui um dos melhores materiais preparatórios do mercado.

 

                                      Fale agora com um consultor

Publicado: 08 de fevereiro de 2019